sábado, agosto 15, 2009

O DIABO NO REINO DE DEUS

O assunto de maior relevo essa semana em destaque na mídia impressa e eletrônica versa acerca da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) de propriedade do empresário Edir Macedo.
A Igreja e seus líderes são alvo de acusações e denúncias: estariam usando o sagrado espaço da fé para encobrir ações promíscuas. O Ministério Público apurou irregularidades na gestão dos negócios da IURD: ligações com narcotráfico, sonegação de impostos, lavagem de dinheiro, contas em paraísos fiscais entre outras práticas apontadas pelo por um relatório. Para saber mais clique aqui.
Essa notícia suscita reflexões. O espírito do nosso tempo denominado pós-modernidade reconfigurou a experiência religiosa. Com uma estética que combina de forma inédita o sagrado com elementos da indústria do entretenimento e da comunicação de massa, a IURD constitui-se um poderoso empreendimento gerenciado segundo uma racionalidade empresarial moderna que ultrapassa os limites institucionais religiosos. Esse novo modelo religioso é denominado de Teologia da Prosperidade.
O filósofo tcheco Vilém Flusser, afirmou que: “as religiões tradicionais estão em crise. (...) Como indivíduos e como sociedade estamos à procura de um veículo novo para substituir as religiões tradicionais e abrir campo à nossa religiosidade latente.”
Abre-se uma indagação: que alterações atingem a experiência religiosa frente às incertezas de um mundo em transformação?

4 comentários:

Dandara disse...

"O espírito do nosso tempo denominado pós-modernidade reconfigurou a experiência religiosa. Com uma estética que combina de forma inédita o sagrado com elementos da indústria do entretenimento e da comunicação de massa" eu realmente adorei este trecho.
Falando como uma evangélica que frequenta a igreja Assembléia de Deus, a Teologia da Prosperidade é muito presente mesmo, e eu não acho que é isso é que está na Bíblia. A igreja se tornou uma instituição onde os templos maiores, mais caros e bancos cheios (mesmo que for cheios de mentiras) sempre parecem ser os melhores.

Luana Pignataro disse...

Eu tinha certeza que eu encotratia algo sobre isso aqui, já que assistindo e lendo sobre o assunto, encontrei muitas indagações feitas nas suas aulas Jorge, principalmente naquele em que assistimos o documentário ' Muito além .. ' enfim, eu me coloquei a pensar.
Confesso que ainda não tenho uma opnião formada, concordo com a Dandara mas ainda não construi argumentos suficientes pra concluir o que eu penso;
De uns tempos pra cá, venho prestando mais atenção no assunto no qual envolve o nome do Edir Macedo pois descobri alguns livros que ele escreveu, nos quais ele exclui e até mesmo 'ridiculariza' algumas outras crenças e religiões , atitude que eu particularmente condeno, não só por me sentir atingida estando a minha religião dentre as barbares, mas também pel falta dele de respeito, com todos.
E pra completar, frase dita por ele em entrevista ao Repórter Record na finalização de uma longa reportágem sobre os insultos da Tv Globo: " eu não suporto religião, acho que ela é a que mais cria desavenças entre os homens " .
É de se pensar, algo se contradiz?

Jorge Miklos disse...

Eu preciso perguntar ao Credidio o significado dessa frase: eu odeio religião... não sei em qual semântica ela se inscreve quando testeminhada pelo bispo Macedo...
No âmbito das ciências sociais religião é ccompreendida como um texto da cultura repleto de signos, símbolos, mitos, rios... Naõ veja como 'culpar' a religião'..., Nesse sentido concordo parcialmente com Marx que preconiza que a religião não é culpada pois ela não faz diferença alguma....não é a CAUSA.. é o SINTOMA....
Parece-me que também há uma confusão entre Fé, Religião e Igreja....
Enfim esse assunto é longo e eu prefiro sempre recorrer aos pensadores que me ajudam a refletir:
tenho uma dica na web;
http://books.google.com.br/books?id=JmBd57idaxgC&dq=o+que+%C3%A9+religi%C3%A3o+rubem+alves&printsec=frontcover&source=bl&ots=uSxf2PjSQo&sig=bhQdoTdrc1CfnljPQcKIPn0YWFc&hl=pt-BR&ei=Y-yJSsPXMoPplAeGs_GgCw&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=2#v=onepage&q=&f=false

boa leitura

Augusto disse...

A igreja sempre se beneficiou da fé difícil é, nos dias de hoje, distinguir qual se beneficia dela e qual não...por exemplo o Vaticano, que é líder religioso de aproximadamente 1,086 bilhão de católicos em todo o mundo, é um país muito rico, será que ele usa o catolicismo para ganhar dinheiro das pessoas através da fé?Religião é uma questão sempre polêmica e confusa, visando que os "fiéis" cegam-se diante de escândalos como esses.