domingo, maio 23, 2010

ADMIRÁVEL (ABOMINÁVEL???) MUNDO NOVO!?!?

Admirável Mundo Novo  é um livro escrito por Aldous Huxley e publicado em 1932 que narra um hipotético futuro onde as pessoas são pré-condicionadas biologicamente  e condicionadas psicologicamente a viverem em harmonia com as leis e regras sociais, dentro de uma sociedade  organizada por castas. A sociedade desse "futuro" criado por Huxley não possui a ética religiosa e valores morais que regem a sociedade atual. Qualquer dúvida e insegurança dos cidadãos era dissipada com o consumo da droga sem efeitos colaterais chamada "soma".
Huxley profetizou em Admirável Mundo Novo, uma civilização de excessiva ordem onde todos os homens eram controlados desde a geração por um sistema que aliava controle genético (predestinação) a condicionamento mental, o que os tornava dominados pelo sistema em prol de uma aparente harmonia na sociedade. Não havia espaço para questionamentos ou dúvidas, nem para os conflitos, pois até os desejos e ansiedades eram controlados quimicamente pelo “soma”, sempre no sentido de preservar a ordem dominante. A liberdade de escolha estava restrita a poucas matérias da vida.  As castas superiores eram decantadas em betas, alfas e alfas + e se originavam de óvulos biologicamente superiores, fertilizados por esperma biologicamente superior, recebendo o melhor tratamento pré-natal possível.
Já as castas inferiores, bem mais numerosas, recebiam um tratamento diferenciado: provinham de óvulos inferiores, fertilizados por esperma inferior, passavam por um processo denominado Bokanovsky  (noventa e seis gêmeos idênticos retirados de um só ovo) e eram “tratados prénatalmente, com álcool e outros venenos proteínicos”.  (Huxley, 1957: 39)
A ficção tornou-se realidade!
Uma equipe liderada pelo geneticista Craig Venter anunciou a criação de um organismo sintético – o primeiro com DNA projetado artificialmente pelo homem. A "criatura" é uma bactéria, que foi batizada de JCVI-syn1.0.
Seu código genético, que tem aproximadamente 1000 genes, foi parcialmente escrito pelos cientistas da empresa de Venter, a Synthetic Genomics.
A empresa pretende patentear a criatura – que a revista inglesa Economist está chamando, em sua reportagem de capa, de “o maior avanço tecnológico desde a bomba atômica”.
É o primeiro passo na tecnologia de desenvolvimento de seres artificiais – que, no futuro, poderá levar à criação de microorganismos projetados para desempenhar funções específicas (como produzir combustíveis ou tratar doenças).
A vinda ao mundo dos homens de JCVI-syn1.0 suscita questões que ultrapassam as implicações tecnológicas. Trata-se da BIOÉTICA. Bioética é o estudo transdisciplinar entre biologia, medicina, filosofia  (ética) e direito  (biodireito) que investiga as condições necessárias para uma administração responsável da vida humana, animal e responsabilidade ambiental. Considera, portanto, questões onde não existe consenso moral como a fertilização in vitro, o aborto, a clonagem, a eutanásia, os transgênicos e as pesquisas com células tronco, bem como a responsabilidade moral de cientistas em suas pesquisas e suas aplicações.
Acerca desse evento não basta perguntar "como fazer", mas sobetudo, "por que", "para que" e "por quem"???
Depois da clonagem só resta o anúncio da  criação da Inteligência Artificial.
Bem vindos ao Admirável Mundo Novo!

2 comentários:

Karen disse...

Professor olha esse video, faz sentido
http://www.youtube.com/watch?v=fkHZyAp31No&annotation_id=annotation_755423&feature=iv
tem a parte 2 tbm

Gabriel George disse...

Realmente intrigante. Admirável Mundo Novo foi um dos melhores livros que já li, e tive o prazer de fazê-lo no Santa Maria, para discutir com o Adriano. Agora que você também está no Santa, podemos trocar algumas ideias sobre o livro, Jorge...

Quero estar vivo para ver uma dessas distopias caminhar cada vez mais próxima à realidade, embora não queira de fato que isso ocorra.