sábado, março 27, 2010

BARUERI É AQUI!!!!!!!!!

Fiquei atônito essa semana quando minha companheira Viviane contou-me acerca de uma matéria exibida pelo programa CQC - abaixo:



A continuação da matéria: veja nos links:

CQC 2010 Proteste já sem censura em Barueri o roubo da TV parte 2
http://www.youtube.com/watch?v=Iapmy1...

CQC 2010 Proteste já sem censura em Barueri o roubo da TV parte 3.
http://www.youtube.com/watch?v=TcQBCO...

CQC 2010 Proteste já sem censura em Barueri o roubo da TV parte 4
http://www.youtube.com/watch?v=DpQmYj...

Proteste já sem censura em Barueri o roubo da TV parte 5.
http://www.youtube.com/watch?v=4RN8aB...

Conforme informações de amigos que trabalham em Barueri o preferido é figurinha carimbada e bem conhecida assim como a galera que o elegeu. 
O cara é forte na região, pelo fato de ser mafioso e testa de ferro dos megaproprietários das megaconstruções que cercam a região. 
Ninguém ousa botar a cara com o "sujeito", porque sabem que vão ter o mesmo tratamento que tiveram Carlos Lamarca, Mariguela, Herzog, Manuel Filho, Rubens Paiva, e outros tantos companheiros que, verdadeiramente lutaram pela democratização deste país.

A situação remete a uma questão e seus desdobramentos : CORRUPÇÃO. O que é? Quais as suas causas? Quais os efeitos? Como combate-la?

O que é?
A palavra corrupção deriva do latim corruptus que, numa primeira acepção, significa quebrado em pedaços e numa segunda acepção, apodrecido, pútrido. Por conseguinte, o verbo corromper significa tornar pútrido, podre.

Curiosidade: Na Roma antiga  os candidatos a cargos públicos vestiam-se de branco durante a candidatura: a palavra candidato vem de candidus (branco, puro). Será que nossos políticos sabem disso?
Numa definição ampla, corrupção política significa o uso ilegal - por parte de governantes, funcionários públicos e agentes privados - do poder político e financeiro de organismos ou agências governamentais com o objetivo de transferir renda pública ou privada de maneira criminosa para determinados indivíduos ou grupos de indivíduos ligados por quaisquer laços de interesse comum – como, por exemplo, negócios, localidade de moradia, etnia ou de fé religiosa.
Os tipos mais comuns de corrupção são:
Suborno ou Propina: a prática de prometer, oferecer ou pagar a uma autoridade, governante, funcionário público ou profissional da iniciativa privada qualquer quantidade de dinheiro ou quaisquer outros favores (desde uma garrafa de bebidas, jóias, propriedades ou até hotel e avião em viagem de férias) para que a pessoa em questão deixe de se portar eticamente com seus deveres profissionais.Políticos podem receber contribuições de campanha e outros pagamentos de grandes empresas para tomarem decisões em seu favor quando eleitos.
Nepotismo: (do latim nepos, neto ou descendente) é o termo utilizado para designar o favorecimento de parentes em detrimento de pessoas mais qualificadas, especialmente no que diz respeito à nomeação ou elevação de cargos. Originalmente a palavra aplicava-se exclusivamente ao âmbito das relações do papa com seus parentes, mas atualmente é utilizado como sinônimo da concessão de privilégios ou cargos a parentes no funcionalismo público. Distingue-se do favoritismo simples, que não implica relações familiares com o favorecido.Nepotismo ocorre assim, quando, por exemplo, um funcionário é promovido por ter relações de parentesco com aquele que o promove, havendo pessoas mais qualificadas e mais merecedoras da promoção.
Uma informação:

Após pesquisa, Rubens Furlan, o prefeito de Baruri é cotado como pré-candidato a vice-governador...

Extorsão: é a prática de se conseguir dinheiro ou quaisquer outros bens de uma pessoa que tem problemas ou negócios que não podem ser conhecidos por mais ninguém. Exemplo: Um político é descoberto em um esquema de corrupção por um colega, este colega passa a exigir dinheiro ou ajuda de qualquer natureza para que este não o denuncie. Esta prática sempre revela na verdade duas ou mais pessoas corruptas em ato.
Tráfico de influência : é um dos crimes praticados por particular contra a administração em geral. Consiste em solicitar, exigir, cobrar ou obter, para si ou para outrem, vantagem ou promessa de vantagem, a pretexto de influir em ato praticado por funcionário público no exercício da função.

Corrupção no Brasil.

Em seu respeitado relatório anual Assuntos de Governança, que vem sendo publicado desde 1996, o Banco Mundial assinala uma curva descendente no índice que mede a eficiência no combate à corrupção no Brasil. O índice, que avalia 212 países e territórios, registra queda contínua da situação brasileira desde 2003, tendo atingido seu pior nível em 2006, quando atingiu a marca de 47,1 numa escala de 0 a 100 (sendo 100 a avaliação mais positiva). Mesmo se comparado a outros países da América Latina, o Brasil ficou numa posição desconfortável: Chile, Costa Rica e Uruguai obtiveram nota 89,8.
O índice do Banco Mundial mede a percepção dominante entre ONGs e agências internacionais de análise de risco, sobre a corrupção vigente num determinado país. Por isso alguns questionam a influência no índice de uma maior atuação fiscalizadora da imprensa e dos órgãos policiais, em especial a Polícia Federal, que desde 2003 realizou mais de 300 operações.

As causas: As raízes do Brasil.

A corrupção tem raízes históricas. Sérgio Buarque de Holanda em seu livro: Raízes do Brasil refletiu acerca da nossa condição e do nosso destino. O livro, publicado pela primeira vez em 1936 considera que a vida política do Brasil foi dominada pelo mundo familiar rural e que seu resultado mais nefasto é que no Brasil não há separação entre esfera privada e pública.
No Estado patrimonial brasileiro (herança da colonização portuguesa) a gestão pública é assunto de interesses privados das famílias. Falta ao Estado brasileiro a organização impessoal e burocrática, típica de uma sociedade política moderna e racional. No Brasil a urocracia estatal não é organizada racionalmente, para se obter maior agilidade e eficiência, mas com a lógica familiar para acolher e proteger familiares, amigos, clientes, agregados. Ao invés de servir à agilidade e à eficiência, a burocracia, por seu gigantismo e despreparo técnico, serve à lentidão, à inoperância administrativa. A educação familiar cria cidadãos inadaptados em uma sociedade moderna, racional e impessoal. Os filhos são mais aptos para a sociedade quanto mais distantes da família, quanto mais desprotegidos por ela. Somos incapazes de distinguir o público do privado. No Brasil a classe política transforma o Estado e os partidos políticos em assuntos de chefes de familiares.

Como acabar com isso?

Um dos principais problemas que dificultam o combate à corrupção é a cultura de impunidade ainda vigente no país. A justiça é lenta e aqueles que podem pagar bons advogados dificilmente passam muito tempo na cadeia. Em estudo divulgado pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), foi revelado que entre 1988 e 2007 (18 anos), nenhum agente político foi condenado pelo STF. Durante este período, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) condenou apenas cinco autoridades. Segundo o ministro da Justiça, Tarso Genro, "a demora no processo está vinculada à natureza contenciosa, que assegura direitos para as partes de moverem até o último recurso."
Outro instrumento eficaz no combate à corrupção é a transparência. Conforme indica o economista Marcos Fernandes da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo, "para combater a corrupção, é preciso ter políticas de longo prazo, preventivas, é preciso fazer uma reforma administrativa (...). Disseminar a bolsa eletrônica de compras, informatizar os processos de gestão, permitir que o cidadão fiscalize a execução orçamentária on-line".


 
Meu desejo é o de uma organização racional da sociedade, na qual todos possam encontrar o seu lugar e se exprimir em sua originalidade segundo regras universais e consensuais. Um mundo sem senhores e escravos, habitado por cidadãos.

3 comentários:

Karen disse...

\o/ Que documentário

Sinceramente fiquei surpresa com a matéria, quem disse que os "BABACAS" eram apenas desmoralizadores da democracia, sem eles talvez não houvesse ficado tão evidenciado tamanha falta de democracia com os irmãos no poder de um municipio.
É Brasil vai demora um pouquinho até que essa nossa nova sociedade que ainda está nas fraudas cresça, uma sociedade mais consciente, mesmo que ainda sejam poucos, onde as novas idéias mais conscientes amaduressam e tomem o poder tornando essa nossa "democracia" em uma verdadeira democracia.
É quando falam que o futuro está em nossas mãos talvez não estejam completamente errados. ^^

Wellington disse...

Mestre Jorge, faço questão de manifestar minha completa adesão à sua postagem, sobretudo quanto à conclusão alcançada. Abraços.

hideki disse...

Olá professor!
Bom, todos nós sabemos que existem várias atitudes moralmente questionáveis no mundo da política, mas quando eles esfregam isso na sua cara doi né?!
huahauhauhaauhauah
Mas depois de ler essa matéria dupla, do CQC e do senhor, pensei em basicamente 3 coisas.
Não sei se o senhor se lembra mas uma vez perguntei ao senhor sobre se a grande "doença" dessa atual população não seria a cobiça. Vendo estas barbaridades lembrei disso e acabei ficando com mais duvidas, espero q o senhor consiga me responder e me suportar pelo menos até o fim do ano!
hauhauahuahuahauhauha
a 2ª é q o senhor uma vez me falou que o argumento dos fracos é a violência. A atitude do prefeito se encaixa nisto? Pois as palavras dele me pareceu mais uma agressão do que um discurso de alguem que quer se defender e se justificar.
3ª e ultima, enquanto eu estava lendo sua postagem me veio uma ideia, por que o senhor não manda essa postagem do seu blog para o pessual do CQC? afinal, a reportagem com os seus comentários ficou muito mais completa e interessante, têm dados que não tem na matéria do CQC.
O comentário acobou ficando um pouco grande mas é porque gostei muito desta postagem! E desculpa pelo comentário quilométrico.
E por fim só uma coisa que me veio a cabeça enquanto assisti e li essa postagem:
"Quando crescer, quero ser um Babaca sem talento, mas com cabelo!"hauahuahuahauhauha
Abraços!